Escritos na varanda

Imagino-me a escrever na varanda, ao fim da tarde, com o Sol a por-se no horizonte e uma bebida gelada ao lado. Como eu nem sequer tenho varanda, tudo isto é ilusão.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A cura pelo grão


Não há adivinho, cartomante, ou dietólogo que não aconselhe o consumo de grão de bico. Os seus poderes vão muito para além de curar as unhas encravadas.
Rico em  cálcio, ferro, proteína, fibras e triptofano, o grão de bico é indicado para ajudar a reduzir a absorção de colesterol, fortalecer o sistema imunológico, ajudar a combater a depressão, melhorar o trânsito intestinal e ajudar a prevenir anemias, entre muitas outras coisas como as já citadas unhas encravadas.

O que a ciência descobriu agora é que o ferro das suas latas é também indicado para reduzir o nível de ervas daninhas no quintal.






sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Coleccionismo

Uma parte da minha colecção de pacotes de açúcar. Neste caso são pacotes da marca Delta, relativos ao tema de feiras e festas anuais.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Пусть бегут неуклюже


Podem cantar, a letra da música esta abaixo do vídeo.



Пусть бегут неуклюже
Пешеходы по лужам,
А вода по асфальту рекой.
И неясно прохожим
В этот день непогожий,
Почему я веселый такой?

А я играю на гармошке
У прохожих на виду.
К сожаленью, день рожденья
Только раз в году.

Прилетит вдруг волшебник
В голубом вертолете
И бесплатно покажет кино.
С днем рожденья поздравит
И, наверно, оставит
Мне в подарок пятьсот эскимо.

А я играю на гармошке
У прохожих на виду.
К сожаленью, день рожденья
Только раз в году.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

A árvore dos dióspiros


As únicas coisas boas que dá uma árvore de dióspiros são fotografias.
Aqui ficam algumas tiradas na semana passada.









sábado, 18 de novembro de 2017

O papa-carvão


Que bicho é este que come carvão?
Será o mesmo que destroi a minha micro horta?


O que quer que seja é novo, porque durante o ano anterior plantei muitas coisas durante o ano todo e nunca notei estas covas.

Isto só começou a aparecer a partir de Setembro, quando comecei as sementeiras para o novo ano.


Não consegui ainda perceber se é feito durante o dia (por pássaros, em princípio) ou durante a noite, por qualquer outro animal.
Quanto ao carvão, isso sei que foi durante a noite, porque ontem ao fim do dia quando fui por comida na tigela do cão não estava roida a saca do carvão.


terça-feira, 14 de novembro de 2017

A calçada deserta


Não é dia nem é noite
É aquele momento mágico
Em que a luz finge resistir
Ao avanço das trevas.
Todos sabemos o resultado,
Que por fim se entregará
Aos braços negros da noite.
As pernas cansadas
Por um dia de trabalho
Há muito que deixaram
De arrastar os pés pela calçada.
Em silêncio, as pedras gastas
Apenas servem de espelho
Que reflecte a luz dos candeeiros.

sábado, 11 de novembro de 2017

Nas tuas mãos começa a liberdade


"Com mãos se faz a paz se faz a guerra
Com mãos tudo se faz e se desfaz
Com mãos se faz o poema ─ e são de terra.
Com mãos se faz a guerra ─ e são a paz.


Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedra estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade."

(Manuel Alegre)